Quinta de Lourosa com novas colheitas

publicado em: Notícias | 0

Quinta de Lourosa Arinto e Loureiro 2016 e Quinta de Lourosa Alvarinho 2015 foram apresentados em Lisboa, em harmonização com as iguarias preparadas no Wine Lover Bairro Alto

Ao jantar não faltou o topo de gama Vinha do Avô (Arinto) e um brinde especial ao aumento de 50% em vendas na capital de Portugal.

A Quinta de Lourosa está localizada na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, no concelho de Lousada. Apego pela terra, paixão pelo vinho e amor pela família são os valores que moveram Rogério de Castro, professor catedrático de viticultura e grande impulsionador dos estudos sobre as vinhas em Portugal, a fazer renascer esta casa, produtora de vinhos Regional Minho e DOC Vinho Verde. Nesta missão, Joana de Castro, filha e enóloga, tem um papel igualmente fundamental. Juntos fazem da Quinta de Lourosa um lugar onde o respeito pela natureza e pela tradição se harmoniza com a inovação técnica e ousadas experiências vitivinícolas. Rogério de Castro salienta “na Quinta de Lourosa, a cultura da vinha é também uma cultura de valores”, acrescentando que “a Quinta de Lourosa não é apenas uma empresa de vinhos: é o fruto, simultaneamente fresco e maduro, de uma ciência e de uma paixão”. Do portefólio fazem parte vinhos brancos, rosados, tintos, espumantes.

O Quinta de Lourosa DOC Vinho Verde branco 2016, foi elaborado com as castas Arinto e Loureiro. No aroma revela notas de frutos citrinos e flores. É harmonioso e sedutor no paladar, mantém o perfil frutado e fresco, deixa um fim de boca longo e muito agradável. É uma excelente opção para acompanhar todo o tipo de peixes, mariscos e carnes brancas, para o comprovar desfilaram iguarias como patê de atum, queijo de alho e ervas, alheira à Brás. Foram produzidas 60 mil garrafas, sendo o preço recomendado 4,00 Euros.

 O Quinta de Lourosa Regional Minho Alvarinho 2015 fez fermentação e estágio parcial em barricas de carvalho novas durante seis meses. Na prova revela um aroma intenso e complexo a frutos citrinos em conjugação com um traço mineral, envolvido em notas tostadas. No paladar é complexo e delicado, um vinho com carácter e acidez firme, um conjunto envolvido num final equilibrado, longo e elegante. Este Quinta de Lourosa Alvarinho 2015 acompanha muito bem peixe fresco gordo, mariscos, cataplanas, risotos de peixe, carnes brancas, cozinha japonesa, cozinha indiana e variadíssimos pratos de bacalhau. 
Foram produzidas 10 mil garrafas e apresenta um preço recomendado de 8,50 Euros.

Por fim, e para deixar todos ainda mais rendidos, chegou o Vinha do Avô, um vinho especial elaborado unicamente a partir da casta Arinto e que é fruto do amor pela natureza e pela vinha, sendo uma homenagem dos netos (Mariana, Francisco e Mafalda) ao avô, Rogério de Castro. As uvas foram selecionadas à mão a partir de uma vinha com cerca de 33 anos, que tem algumas particularidades: é a primeira vinha de seleção clonal da casta Arinto em Portugal; é a primeira vinha com sistema de condução Lys; é a primeira grande vinha de encosta “ao alto” na Região Demarcada dos Vinhos Verdes; e foi desta vinha que nasceu o primeiro vinho engarrafado da Quinta de Lourosa, em 1995. Este Vinha do Avô resulta, assim, de um lote selecionado  de uvas Arinto desta vinha especial e da conjugação das colheitas de 2013, 2014 e 2015, tendo fermentado e estagiado em barricas de carvalho francês usado. Na prova apresenta cor amarela, aroma de maçã madura, na boca sentem-se os tostados, tem excelente frescura e deixa um final longo e persistente, fazendo adivinhar uma grande longevidade. Um vinho com tanta complexidade, volume e frescura, permitiu arriscar a harmonização com queijo de cabra e compota de abóbora, tarde de amêndoa e toucinho do céu. O Vinha do Avô foi apresentado em 2016 e, um ano depois, deslumbra pela capacidade de evoluir rumo à perfeição. Foram produzidas 1500 garrafas magnum e está disponível em pontos de venda selecionados por 30,00 Euros.

Goste / Partilhe este artigo: