Vinhos de exceção da Quinta Nova

Os três Grande Reservas espelham de forma fiel a tipologia de cada uma das 42 parcelas da Quinta e são o reflexo da aposta da Quinta Nova na qualidade.

QN_2013 3 garrafas 450

“Com trabalho de equipa, num ano difícil, também se fazem exceções” revela Luísa Amorim, administradora da Quinta Nova.

Na vindima de 2013 da Quinta Nova foi possível contrariar um ano atípico, condicionado por uma quebra de 35% da produção, resultado de um inverno seco, chuva nas alturas mais impróprias e falha grave no sistema de bombagem da água do rio.

Ao perfil da região, a Quinta Nova adicionou a inspiração na Borgonha e na Ribera del Douro.

Quinta Nova Reserva 2013
Na excelência das vinhas adultas, plantadas em solos xistosos, pobres, ingremes, de exposição variada e de altitudes entre os 75 e os 250 metros, obtém-se uma produção muito reduzida e concentrada.

Este vinho fica-nos na memória – a presença da Tinta Amarela, que associada à Touriga Franca forma um conjunto atraente, marcado pela frescura e comprimento de prova.

Destas características resulta um vinho de intensidade única, pleno de aromas a frutos silvestres, especiarias e tabaco preto. Bem complexo e de boca estreita, mostra um grande equilíbrio entre três fatores: a estrutura, o álcool e a densidade.

É um vinho muito intenso e profundo, que termina longo e preciso.
Castas: Touriga Nacional, Tinta Amarela, Tinta Roriz, Tinto Cão
O PVP recomendado é de 24,5€, tendo sido produzidas 17.000 gfs.

Quinta Nova Grande Reserva Tinto 2013
Desde a vindima de 2005, este vinho é uma peça fundamental na história da Quinta Nova e na sua máxima expressão de terroir.

Oriundo das primeiras vinhas monocasta de Touriga Nacional plantadas na Região Demarcada do Douro, hoje com 45 anos de idade, trata-se de uma vinha de 1,5ha com exposição nascente/poente, de uma mistura de clones cuja produtividade é muito reduzida, com cachos muito pequenos e de bago miúdo.

Único, é um lote com uma Touriga Nacional muito concentrada, aliado a vinhas velhas de idade superior a 80 anos (blend de castas), e resulta num vinho de perfil elegante quase feminino, contrastando com uma estrutura intensa de taninos suculentos de enorme precisão.

A textura xistosa, de elevada gravidade, o perfil seivoso e a cor purpura refletem bem a natureza da Touriga Nacional.

Castas: 25% Vinha Velha e 75% Touriga Nacional
O PVP recomendado é de 55€, tendo sido produzidas 4.100 gfs

Quinta Nova Grande Reserva Referência Tinto 2013
A Tinta Roriz demonstra bem o desafio vitivinícola e a persistência humana em preservar um Douro antigo e autêntico.

Nunca cedendo ao facilitismo de um banal granjeio, na vinha há sempre um olhar especial sobre um pequeno e antigo talhão de tinta roriz (1,46ha), localizado junto à capela do rio Douro, a 100m de altitude e com exposição a nascente/poente.

Desde uma floração nervosa, passando pela sensibilidade extrema aos fatores biológicos, até à maturação fenólica nem sempre homogénea, esta casta deixa toda a equipa com “borboletas no estômago”.

A austeridade da casta nota-se bem em boca, mas ao mesmo tempo, somos seduzidos por uma sofisticação algo contemporânea. É um vinho pleno de mineralidade, frutos azuis, rico em notas especiadas, com uma estrutura bem firme e uma boca bem estreita. A elevada concentração, densidade e profundidade expressa bem a sua origem.

Castas: Vinhas Velhas e Tinta Roriz
O PVP recomendado é de 55€  tendo sido produzidas 4.100 gfs

Goste / Partilhe este artigo: