Romã

O fruto dos reis

Foto de Ricardo Polónio
Foto de Ricardo Polónio

 

Para os gregos simbolizava amor e fecundidade, para os judeus prosperidade, para os romanos ordem e riqueza…, porém já os árabes, segundo pesquisas, a consideravam fruto medicinal. Cada vez mais a romã é destacada não apenas pela sua cor vibrante e pelos seus sumarentos bagos, mas sobretudo pelas suas inúmeras propriedades benéficas para a saúde. O belo fruto da romãzeira que é colhido no Outono e tradicionalmente guardado até ao Inverno, é antioxidante (dizem estudos recentes que quase três vezes mais do que o chá verde), anti-inflamatório, anti-cancerígeno, hidratante…, explicando-se estes efeitos pela presença dos ácidos elágico e ascórbico, de esteróis, flavonóides, ácidos gordos, vários minerais, entre outros componentes… Assim, pelos conselhos dos especialistas, o consumo diário do sumo de romã é útil na prevenção das doenças cardiovasculares como a angina de peito, o colesterol elevado e a hipertensão, para além da diabetes, artrite, obesidade, entre outras patologias. Dizem as lendas que quem comer uns bagos de romã no dia de Reis, para além de se deliciar com o seu doce aroma, pedirá desejos para o ano que se inicia!

por Rita Amaral Dias

Goste / Partilhe este artigo:

Leave a Reply