Empregabilidade das Escolas do Turismo de Portugal continua a subir

publicado em: Notícias | 0

A taxa de empregabilidade dos alunos formados nas Escolas do Turismo de Portugal voltou a subir em 2016, situando-se agora nos 88%, de acordo com o mais recente Estudo de Inserção Profissional

As candidaturas para o próximo ano letivo decorrem desde 1 de junho e 16 de julho.

Os cursos de Turismo de Ar Livre e de Técnicas de Cozinha/ Pastelaria são os que apresentam uma taxa de atividade de 100%, seguidos do curso de Culinary Arts com 93,5%.

Importa destacar que, dos alunos empregados, 90,2% encontram-se a desenvolver atividade no setor do turismo, sendo que 86,1% ficaram colocados no mercado de trabalho em menos de três meses. Mais de 81% dos alunos afirmam estar a desempenhar funções adequadas à formação recebida.

“Estes resultados tão positivos espelham o nosso esforço em melhorar e aproximar, cada vez mais, a formação às necessidades sentidas pelos empresários do setor”, afirma o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, acrescentado que “optar por uma profissão em turismo é uma aposta ganha, tendo em conta a importância que este setor tem tido na economia nacional, quer ao nível do crescimento do emprego como de toda a atividade turística”. 

A formação ministrada nas Escolas é um importante pilar da atuação do Turismo de Portugal, através da qual está comprometido a contribuir para a sustentabilidade e qualidade do serviço prestado pelas empresas e agentes do setor. A qualificação dos recursos humanos torna-se, por isso, essencial para a consolidação da competitividade do turismo, razão pela qual, o Turismo de Portugal tem estado a reformular a sua oferta formativa e a rever os curricula, no sentido de integrar nos seus cursos as competências assinaladas pelo mercado, tendo em conta as novas exigências e tendências, nomeadamente soft skills e comunicação.

Entre as novidades para o ano letivo 2017/2018 destaque para o Curso de Especialização Tecnológica em Turismo Cultural e do Património, com o objetivo de contribuir para o conhecimento do destino, sua atratividade, valorização e sustentabilidade.

Também a plataforma Connective, serviço de mentoring empresarial e apoio ao recrutamento, que visa promover a interação entre os alunos das Escolas de Turismo e os profissionais do setor, nacionais e internacionais, para exponenciar o sucesso da formação e perspetivas de carreira, assume relevância nas novidades para 2017/2018.

Por último, a internacionalização. Um tema presente na agenda das Escolas do Turismo de Portugal e um dos pilares da sua estratégia, através do qual se assegura a captação de alunos estrangeiros e a realização de estágios internacionais, num salutar e oportuno intercâmbio de experiências e conhecimento.

 

Goste / Partilhe este artigo: