Mercadona vai abrir o seu primeiro Centro de Coinovação em Portugal

publicado em: Notícias | 0

Neste centro, localizado em Matosinhos, a Mercadona vai trabalhar em conjunto com os clientes, para adaptar a sua oferta aos hábitos e preferências do consumidor português e desenvolver produtos inovadores

Centro de coinovação de pequenos-almoços e lanches em Valência (Espanha)
Centro de coinovação de pequenos-almoços e lanches em Valência (Espanha)

A Mercadona decidiu abrir em Matosinhos, no Grande Porto, o seu primeiro Centro de Coinovação em Portugal. O edifício terá uma dimensão superior a 1.000 m2, a somar aos 12 centros que a cadeia de supermercados gere atualmente em Espanha.

Este macro laboratório de ideias vai estar a funcionar a partir do segundo trimestre de 2017. O Centro de Coinovação vai permitir à empresa procurar inspiração e colaborar com os seus clientes, para adaptar a sua oferta aos hábitos do consumidor português. Para isso, a cadeia de supermercados irá desenvolver com eles produtos que correspondam aos seus gostos, detetará as suas necessidades quanto aos produtos que compõem o seu cabaz de compras habitual e poderá, desta forma, introduzir melhorias e lançar inovações nos cinco negócios que englobam todos os produtos comercializados pela Mercadona: alimentação (Frescos e Secos), bebidas, limpeza do lar, higiene pessoal e cuidados com os animais de estimação.

O futuro Centro de Coinovação ficará localizado na Avenida Menéres, em Matosinhos. Graças à sua dimensão, vai dispor de salas de degustação de produto e cozinhas para sessões participativas com os clientes.

De acordo com Armando Delgado, Diretivo do Departamento de Prescrição da Mercadona, “o facto de construirmos o nosso primeiro Centro de Coinovação em Portugal responde à necessidade de dar resposta a um dos nossos maiores desafios, o de sermos capazes de surpreender os nossos clientes portugueses com produtos inovadores desenvolvidos com e para eles”.

O Modelo de Coinovação é uma das principais características diferenciadoras da Mercadona. A cadeia espanhola põe em prática a estratégia de aprender com os clientes que utilizam os seus produtos, ouvir os seus comentários e inovar com eles.

“Estamos conscientes da necessidade de colaborarmos estreitamente com os clientes, ouvirmos as suas sugestões e aprendermos com eles, numa relação chave para podermos oferecer produtos que não só têm uma segurança alimentar total, como uma qualidade altíssima a um preço muito competitivo. Só no ano passado realizaram-se mais de 5.500 sessões com os clientes nos nossos centros de Coinovação em Espanha para inovarmos conjuntamente”, sublinha Elena Aldana, Diretora de Relações Externas Portugal da Mercadona.

Ao mesmo tempo que envolve o clientes no processo de inovação, a Mercadona trabalha diretamente com os seus fornecedores para introduzir novos produtos e melhorias nos produtos já existentes. Graças a este modelo circular, os produtos comercializados pela Mercadona são desenhados à medida do cliente, o que faz com que fiquem mais tempo no mercado.

De facto, de acordo com o estudo “O Valor da Inovação Conjunta” (entre a Mercadona e os seus interfornecedores), realizado pelo Institut Cerdà, a taxa de sucesso dos novos produtos lançados pela Mercadona é de 82%, enquanto a média do sector é de 24%.

Na prática, em Espanha, o Modelo de Inovação Conjunta concretiza-se através de 12 centros de inovação conjunta, onde a Mercadona trabalha com 125 interfornecedores. São mais de 1.000 pessoas que se dedicam à inovação em várias áreas: produto, processos, mudanças organizacionais e marketing.

 

Goste / Partilhe este artigo: