Brac Petiscos reabriu remodelado e com nova imagem

publicado em: Notícias | 0

Depois das férias reabriu remodelado, na decoração, imagem e evolução de cozinha mas reforçando ainda mais o perfil de sabores com aposta nos produtos tradicionais para preparação de petiscos e no equilíbrio cativante da criatividade e confeção

Foi o empresário bracarense Luís Machado, arquiteto de formação e profissão, que decidiu há uns anos investir na área dos prazeres da mesa, com a abertura do Brac em Braga. Um espaço que tem evoluído com base na experiência suportada nos “best sellers” da casa e acima de tudo no bom gosto de uma cozinha  reconfortante.

Com uma carta ao jantar comedida de entradas e pratos principais, assim como uma lista de vinhos selecionados através de “pesca à linha”, procura ter vinhos pouco comerciais com uma relação preço/qualidade equilibrado e sem pretensiosismos. É um espaço que se pretende simples, confortável e cativante, com os prazeres da mesa sempre presentes, onde o vinho a copo é também uma opção.

Como sugestões de entrada podemos saborear petiscos como brandade de bacalhau com espinafres, pão tostado com azeite e alho (5,5€); cogumelos grelhados com ovo e parmesão (6€); ou croquetes de bochecha de porco com mostarda e pickle de cenoura (4,5€).

Nos peixes temos o do dia com legumes (5€); corvina com gambas em molho de moqueca e farofa (15,5€); ou a caldeirada de polvo e batata doce (15€).

De carnes temos a escolher  um bife da vazia à Brac (16€); feijoada de pernil e enchidos com cachaço de porco assado lentamente  (14,5€); e rabo de boi estufado em vinho tinto (15€).

Um prato vegetariano também é uma opção para os fãs, com um arroz malandro de cogumelos com queijo da Serra e alecrim (14€), ou um menu Infantil de bifinho grelhado/Panadinho de Frango/ Hamburguer ou Croquetes + acompanhamento (12,50€)

As sobremesas são também uma opção a ter em atenção, como o gelado de canela com ovos moles e telhas (4,5€), tarte quente de maçã, caramelo de especiarias e gelado de baunilha (4,5€), parfait de chocolate e tangerina (4,5€) ou a sobremesa do dia (3,5€). Estas são criações bem conseguidas.

Existe também sempre uma opção reconfortante de sopa do dia (3,5€), sugestões diárias ao almoço de pratos mais rápidos e também saborosos, assim como petiscos ao longo da tarde.

Com outro restaurante aberto na capital do Minho, Braga, o empresário Luís Machado tem também a Casa de Pasto das Carvalheiras com a assinatura do brilhante Chef João Pupo Lameiras. Uma lufada de ar fresco nesta bonita cidade, das mais jovens da europa, com estes espaços como alternativos aos da cozinha tradicional com que desde sempre esta cidade minhota foi conhecida.

texto Mário Rodrigues
edição Rita Lisboa

Goste / Partilhe este artigo: