Melhores Azeites de Trás-os-Montes e Alto Douro

publicado em: Notícias | 0

Os azeites ‘Magna Olea’ (Jerónimo Abreu e Lima), ‘Quinta da Romaneira’ (Sociedade Agrícola da Romaneira) e ‘Rosmaninho Cobrançosa’ (Cooperativa de Olivicultores de Valpaços) foram os grandes vencedores do 1.º ‘Concurso de Azeite Virgem de Trás-os-Montes e Alto Douro’ (CAVTAD) ao conquistarem Ouro nas categorias “Azeite Frutado Maduro”, “Azeite Frutado Verde” e “Azeite Frutado Verde Intenso”, respetivamente

Vencedores Concurso Azeites 450

O ‘Rosmaninho Cobrançosa’ foi ainda eleito o “Melhor Azeite de Cooperativa”, galardão que foi atribuído ao ‘Casa de Santo Amaro Prestige’ (Trás-os-Montes Prime, Lda.), mas como “Melhor Azeite de Quinta”.

As três categorias de azeite a concurso valeram a atribuição de medalhas de ouro (3), prata (5), bronze (3), bem como menções honrosas (26), havendo ainda lugar – como já referido – para duas distinções especiais para os melhores azeites “de Cooperativa” e “de Quinta”. No total foram atribuídos 39 distinções e estiveram 68 azeites a concurso. A organização disponibilizou aos produtores as imagens das medalhas de ouro, prata e bronze para que sejam colocadas nos azeites premiados se assim o entenderem.

Uma prova superada, uma vez que foram quase setenta os azeites que estiveram à prova, de mais de uma dezena de jurados, nesta primeira edição do CAVTAD. A competição decorreu nos dias 19 e 20 de Maio, no espaço da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança, sendo que os premiados e os grandes vencedores foram anunciados no Domingo, dia 22 de Maio, durante o ‘Festival do Vinho do Douro Superior 2015’, certame que decorreu no ExpoCôa – Pavilhão de Exposições e Feiras de Vila Nova de Foz Coa pelo quinto ano consecutivo.

José Gouveia, professor catedrático do Instituto Superior de Agronomia e grande especialista em azeites, presidiu ao júri do CAVTAD, acompanhado pela dupla de diretores técnicos Francisco Pavão (da APPITAD – Associação dos Produtores em Proteção Integrada de Trás-os-Montes e Alto Douro) e José Alberto Pereira (da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança). Nesta primeira edição, o júri integrou profissionais de referência na área da análise sensorial de azeites virgem, garantindo aos produtores da região uma oportunidade de exceção para mostrar o dinamismo e o potencial da sua atividade.

Goste / Partilhe este artigo: