Topos de gama da Quinta do Pôpa

publicado em: Notícias | 0

Quinta do Pôpa lança ‘Vinhas Velhas’, ‘Touriga Nacional’ e ‘Tinta Roriz’ de 2011 aprovadas por Robert Parker com 92, 91 e 91 pontos respetivamente

Pôpa TN tinto SA - garrafa deitada diagonal 450

A Quinta do Pôpa confirma a regra e vê, no início de 2016, chegado o momento ideal para o lançamento dos seus topos de gama desse ano: ‘Pôpa VV’ (Vinhas Velhas), ‘Pôpa TN’ (monocasta de Touriga Nacional) e ‘Pôpa TR’ (monocasta de Tinta Roriz). Depois de 2007, 2008 e 2009 esta é a quarta edição destes DOC Douro, uma vez que em 2010 não atingiu o patamar de excelência pretendido. Três tintos com o “selo de provado e aprovado” do influente crítico de vinhos internacional Robert Parker, aos quais atribuiu respectivamente 92, 91 e 91 pontos.

O ‘Pôpa VV tinto 2011’ encerra em si um blend natural – na vinha – de mais de 21 castas, provenientes de vinhas com mais de 80 anos de idade, entre as quais se destacam a Touriga Franca, Tinta
Barroca, Tinta Amarela, Tinta Roriz e Sousão. É um tinto de cor rubi e aroma a compota de ameixa alguma especiaria e frutos silvestres. Na boca apresenta uma boa relação entre sabor, tanino e volume; tem frescura e elegância, o que lhe confere finesse. O final de boca é longo, saboroso e potente.
Um néctar para beber com carnes vermelhas, javali estufado, picanha ao sal, queijos e enchidos.

Feito 100% a partir das casta emblema do nosso país, chega-nos a quarta colheita do Touriga Nacional com assinatura da Quinta do Pôpa. Um vinho vermelho violeta que no nariz faz sobressair fruta madura, ameixa seca, frutos secos e compota de cereja; necessita de abrir para mostra o lado floral.
No palato é elegante e apresenta tanino intenso e redondo, bem equilibrado com a acidez que o caracteriza. O final de boca é persistente e intenso.
Um vinho que pede assados de vaca ou peru.

Também no campo dos monocastas, a Quinta do Pôpa apostou no ‘Pôpa TR’, cuja colheita de 2012 denota toques balsâmicos, a frutos pretos e especiarias. Na boca a entrada é elegante, seguindo-se uma boa concentração e equilíbrio entre acidez e tanino. Termina com um final de boca longo e tanino presente. Um tinto duriense com muito potencial de envelhecimento, cuja maridagem pede pratos de carne de porco, borrego ou cabrito e javali na brasa.

PVP recomendados (quantidades de garrafas e respetiva litragem)

Pôpa VV tinto 2011
1750 garrafas de 750ml – € 25,00
107 garrafas de 1500ml – € 55,00

Pôpa TN tinto 2011
2340 garrafas de 750ml – € 22,00
82 garrafas de 1500ml – € 48,00

Pôpa TR tinto 2011
4070 garrafas de 750ml – € 16,00
130 garrafas de 1500ml – € 37,00

Goste / Partilhe este artigo: