50 milhões nas exportações de vinhos verdes

publicado em: Notícias | 0

A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) vai investir três milhões de euros na promoção da Denominação de Origem Vinho Verde, na Indicação Geográfica Minho e no produto enoturístico Rota dos Vinhos Verdes

vinho verde vinha 450

O ano de 2015 fica marcado por excelentes resultados da Região dos Vinhos Verdes: as exportações ultrapassaram os 22 milhões de litros correspondentes a mais de 50 milhões de euros, com as castas Loureiro e Alvarinho a crescerem cerca de 15% cada. Os Brancos mantiveram os excelentes resultados do período homólogo, enquanto os rosados representam já 5% do negócio do Vinho Verde, sem esquecer o forte crescimento dos espumantes.

O aumento médio do preço de venda em toda a fileira é responsável por um crescimento da cotação a granel e consequente aumento do PVP, sublinhando a valorização dos vinhos – que é, cada vez mais, uma aposta da CVRVV e dos produtores, ao apresentar produtos consistentes e com qualidade reconhecida, justificando o aumento de preço quer no mercado nacional, quer nos mercados de exportação.

Com exportações na ordem dos 51,7M€ – um aumento de valor de 10% face a 2014 – destaca-se o mercado dos E.U.A. com um aumento de 31% a liderar com 12,5M€, seguido da Alemanha (9,3M€), França com mais 21% (6M€), Canadá com acréscimo de 16% (3,6M€), Brasil (2,8M€) e Suíça (2,2M€). As exportações de Vinhos Verdes chegaram a 106 países. Menção especial para o caso da Suécia, onde se verifica um crescimento de 36%. O Brasil cresce 4%, apesar da crise económica.

Recorde-se que as exportações representam mais de 40% do total do negócio dos Vinhos Verdes, fatia que sobe para mais de 50% no caso dos brancos.

Para 2016, a CVRVV investe numa estratégia de longo prazo, encetada há mais de uma década, com objetivos evolutivos e resultados bem-sucedidos alcançados ao longo do tempo. Actualmente, com mais de 40% das vendas voltadas para a exportação, perseguindo o objetivo de chegar aos 50% de exportações no próximo triénio, há uma clara valorização da marca, afirmando o Vinho Verde como um produto único de qualidade.

Para Manuel Pinheiro, Presidente da CVRVV, “este é um momento de satisfação quanto aos mercados externos, mas também de reposicionamento no mercado nacional: em Portugal, os vinhos da Região registam um crescimento na ordem dos 8,2% em volume e 11% em valor. Queremos reforçar esse posicionamento, continuando a investir na promoção externa. Acima de tudo, queremos cimentar o papel dos Vinhos Verdes como embaixadores da marca Portugal. E esse é um trabalho que não pode deixar de ser também feito no mercado nacional”, refere.

Goste / Partilhe este artigo: