3ª Geração

publicado em: Lugares, Opinião | 0

Um restaurante onde antes a sua mãe tinha sempre uma sopa e um prato para os muitos clientes que vinham para as vindimas.

Antigo “Café os caçadores” no tempo do pai de Idalina, atual proprietária, ou recuando ainda mais no tempo, “O Botequim da Idalina”, na época em que era a sua avó nos destinos da cozinha.

Hoje, a irmã Maria João, é a responsável pela produção gastronómica das receitas tradicionais, que continuam a ser da mãe com quem partilha ainda a cozinha. O pai, peixeiro, tinha por hábito fazer umas ostras com um especial molho à base de alho, azeite e coentros. Dando continuidade à tradição, o marido da Idalina segue as pegadas do sogro no que diz respeito a tratar um dos produtos base da casa, o peixe.

Peixe fresco grelhado, massada de tamboril, bacalhau com crosta de fogaça, coelho à Graciosa, coelho ao vinho, bife de vitela com queijo de azeitão, são alguns dos muitos pratos disponíveis nesta casa.

Nesta ultima fase familiar com 16 anos, tem uma carta com pratos regionais e cozinha tradicional, simples, bem confecionada e saborosa. As noites de fado fazem parte por vezes da animação deste espaço.

Numa região de produção de excelentes vinhos, uma boa carta com lista de vinho a copo e copos à altura, é aliás, mais um aspeto que distingue esta casa da generalidade das restantes, além de um serviço simples, simpático, familiar e eficiente.

Rua Serpa Pinto nº 147
Palmela
Telef: 21 235 0152
facebook
Unidade que integra a região da Rota dos Vinhos da Península de Setúbal

por Mário Rodrigues

Goste / Partilhe este artigo: