Chefe Louis Anjos

Ao longo da minha vida profissional vou-me deparando com alguns episódios caricatos que, de uma forma ou outra, vão marcando os dias que passo na cozinha. Espero, sinceramente, que surjam muitos mais!

SONY DSC

Para esta “História à Mesa”, vou pegar num episódio que ocorreu há uns meses atrás. Tinha um grupo alojado no Suites Alba Resort & Spa que, para além da vista, do sol e do spa, queriam aproveitar os prazeres da gastronomia. Na cozinha os preparativos decorriam a bom ritmo. Tínhamos tudo pronto. Começámos a servir a entrada fria. Tudo corria bem. Pedi, então, a um colaborador para ir às câmaras frias buscar o creme de ervilhas para que, lentamente, o pudéssemos começar a aquecer. Passados alguns minutos, e já com a entrada fria servida, não tinha notícias do creme de ervilhas. Desta forma, pedi a outro colaborador para ir ver o que se passava. Começava a suspeitar que algo não corria bem.

Em menos de um minuto, avisam-me que a sopa estava completamente derramada no chão da câmara fria. Simultaneamente, apercebo-me que os pratos da entrada fria começavam a ser levantados. Aumenta o stress e a pressão! Contudo, e num ápice, oiço alguém na cozinha: “Chefe, tenho aqui uma cebolada”. A esta voz de esperança junta-se outra: “Chefe, sobraram-me algumas batatas e legumes”. Sem dar conta, e em menos de cinco minutos, já estava o triturador ligado. Chamaram-me para provar a sopa, e qual não é o meu espanto: estava deliciosa, lisa e com uma cor soberba. “Parabéns”, exclamei eu!

Esta pequena história mostra que, na cozinha, quando juntamos esforços e trabalhamos em equipa conseguimos ultrapassar os obstáculos que nos vão surgindo. O improviso aliado à vontade e dedicação, por norma, funciona sempre bem. Um Chefe sem equipa não é ninguém!

 Chefe Louis Anjos
Suites Alba Resort & Spa

Goste / Partilhe este artigo: